terça-feira, junho 05, 2007

gravito

(carta do desembargador Francisco Manuel Gravito* da Veiga e Lima a sua filha, escrita na véspera de ser enforcado, em 7 de Maio de 1829)

Querida filha:

A vicissitude da sorte, querida filha, tão variável como a chamada fortuna, colocou ao teu carinhoso pai na lista dos criminosos, e hoje é vítima do ódio, da vingança e da arbitrariedade.

Próximo já dos últimos momentos, de ti me recordo com vivíssima saudade. Eu te consagro os meus suspiros como o vínculo mais doce que prende a minha existência. A tua memória me é cara e no meu inopinado infortúnio a tua imagem querida existe a par de mim. Tu perdes um pai, o melhor dos teus amigos. Ele é roubado ao teu coração inocente para ser votado ao cadafalso; mas nem por isso é hoje indigno de ti. Sem protecção e sem arrimo, a tua perda é irreparável e eu espero, minha filha, que nunca a vejas indemnizada; ninguém substituirá teu pai.

Muito desejo te conserves sem alguma outra relação social, para não empenhares teu coração na sorte de um outro homem em que se puna, como em mim, a virtude, e se ponha a tua em lances amargurados. Se, porém, outro for o teu destino, te rogo que prefiras um homem dos sentimentos e princípios de teu pai, na certeza de que nem estes, nem o patíbulo em que vou terminar os meus dias, podem servir-te de opróbio.

Adeus, minha querida filha, adeus para sempre.

Gravito


* mais dados sobre a vida e morte deste aveirense, mártir do liberalismo aqui.

2 comentários:

patriota disse...

VAMOS REPOR O NOME ORIGINAL À PONTE SOBRE O TEJO: PONTE SALAZAR

Está em curso,com a designação referida, uma campanha de obtenção de assinaturas visando devolver à ponte sobre o Tejo o seu nome original. Os participantes deste forum que entenderem aderir podem fazer download do impresso correspondente no fundo da página em: http://www.oliveirasalazar.org/g....asp? idTema=118

Pede-se, a quem entender dever faze-lo, que ajude a divulgar o mais possivel esta iniciativa, no mundo virtual e no mundo real. O potencial de obtenção de assinaturas é muito grande, mas ninguem pode assinar algo de que desconhece a existencia.
Patriota | Homepage | 06.08.07 - 2:25 pm | #

António Balbino Caldeira disse...

Luís

É bom recordar esses lances de desumanidade nestes tempos de impunidade dos criminosos e de perseguição dos justos.

Um abraço Do Portugal Profundo.