sábado, novembro 10, 2007

Democracia directa e dignidade humana

A sociedade civil mexe! Leia e passe...

Ciclo de tertúlias no CAVIM

12 de Novembro; Feira; 21.00h

Democracia directa e dignidade humana”

pelo Dr. António Balbino Caldeira,

autor do blogue do Portugal Profundo, no Centro Académico Vimaranense (CAVIM)

Rua Pe. Doutor Manuel Faria, Loja 6 P, (Junto à Rotunda da Universidade) Guimarães

Para mais informações contactar o telefone 964 260 896


"Democracia directa e dignidade humana"

A democracia directa é a nova exigência da dignidade humana. Para corrigir os abusos dos eleitos no quadro obsoleto da democracia representativa, os cidadãos têm de recuperar o poder de sufrágio real e a soberania política, usurpada pelos directórios partidários nacionais e locais e sujeita a fidelidades secretas. A dignidade humana exige a intervenção dos cidadãos na escolha livre dos eleitos, a sua consulta nas grandes decisões do Estado, a transparência e a prestação de contas pelos dirigentes e regras efectivas de controlo dos mandatos. A dignidade humana reclama a maioridade dos cidadãos permitida pela democracia directa, a qual, por sua vez, é favorecida pelo progresso tecnológico actual. Sem essa reforma política, não é possível o desenvolvimento integral da comunidade.


NOTA BIOGRÁFICA

António Balbino Caldeira nasceu e vive em Alcobaça. É casado e tem dois filhos. É licenciado em Relações Internacionais pelo Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade Técnica de Lisboa, pós-graduado em Estudos Europeus pelo Centro de Estudos Europeus da Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra e mestre em Gestão com Especialização em Marketing pela Escola de Pós-Graduação em Ciências Económicas Empresariais da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa). Foi docente da Universidade Fernando pessoa no Porto e actualmente lecciona Marketing na Escola Superior de Gestão do Instituto Politécnico de Santarém. Foi fundador da Associação para o Desenvolvimento da Região de Alcobaça e da Academia Social e de Cultura de Alcobaça. É autor do blogue Do Portugal Profundo (http://doportugalprofundo.blogspot.com) no âmbito do qual tem desenvolvido a sua luta pela cidadania activa, liberdade, dignidade do Estado, independência do poder judicial face ao poder político, democracia directa e protecção das crianças face aos abusos pedófilos.


3 comentários:

Anónimo disse...

SILÊNCIO CULPADO disse...
Perante uma grande sacanice que está a ser feita sobre alguns professores que não recebem vencimento,têm horários d e12 horas ou estão a recibos verdes sugere-se que todos os blogues publiquem a notícia que está no http://cegueiralusa.blogspot.com

O Viriato disse...

Fiquei a saber que o Dr. Caldeira é licenciado em Relações Internacionais.
E não teria dado qualquer relevo não fosse o caso de se tratar do mesmo curso que eu em 2004 estava a tirar quando se levantou a tempestado persecutória pelo facto de ser Oficial do QP do Exército. Para a hierarquia Militar este condição é constitui "limitação" aos mais elementares direitos de cidadania, ao ponto de me terem vetado e dedado o acesso à Cultura.

Abandonei então o curso que hoje, passados 4 anos, estaria em vias ver ternminado.

Parabéns pela iniciativa Dr. Caldeira e só lamento não poder estar aí para participar. A sociedade civil tem que dar força e manifestar expressão para solidificar e enrijecer o carácter da revolução que já está em marcha.
Até uma próxima oportunidade.

bem-hajam! disse...

Congratulo-me com a força destas iniciativas de cidadãos inconformados com o 'statu quo' e que não se ficam pelas palavras - agem!